Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Páginas Criativas

Um blog onde a imaginação e a realidade podem andar de mãos dadas com a ESCRITA. Gostas de escrever? Partilha os teus textos connosco. Envia-os para o email: bibliotecasesagtn@gmail.com

Páginas Criativas

Um blog onde a imaginação e a realidade podem andar de mãos dadas com a ESCRITA. Gostas de escrever? Partilha os teus textos connosco. Envia-os para o email: bibliotecasesagtn@gmail.com

"O Poder do amuleto", um texto da autoria da Diana e da Iara do 6.º ano - Texto vencedor do 2.º escalão

Concurso Uma Imagem, Uma História

28.06.21

Diapositivo1.JPG

O poder do amuleto

       Há muito tempo, durante um dia gelado e com muita neve, uma mulher estava a acartar lenha para a lareira de sua casa.

       Lisa tinha cabelos longos e um amuleto da sorte. Enquanto caminhava, Lisa, acidentalmente, deixou-o cair. Como estava a nevar, Lisa não conseguia ver onde o amuleto tinha caído. Devido à falta de visão perdeu o equilíbrio, acabou por cair e desmaiou. Quando acordou estava sol e a neve tinha derretido. Então ela já podia procurar de novo. Quando tentou levantar-se, viu que não conseguia. De início achou que tinha torcido o pé, mas fez um esforço e começou a andar. Após andar durante muito tempo, ela estava cansada e não tinha encontrado nenhum amuleto.

       O seu pé estava com um tom meio roxo e ela estava a ficar preocupada: além de não achar o seu amuleto, não encontrava ninguém. Mas bem lá ao fundo viu alguma coisa que parecia uma fonte de água. Arrastou-se até lá com muita dificuldade e, ao chegar, apercebeu-se que não era uma fonte de água. Afinal era um monte cheio de uma flor chamada jasmim-azul. Ao aperceber-se do seu erro, começou a chorar, devido ao esforço que tinha feito para chegar ali. Deitou-se no chão, até que ouviu um gato a miar. O gato pediu-lhe carinho, mas logo depois começou a correr devido a uma voz misteriosa; ela correu atrás do gato. Até que…

       Avistou uma casa; provavelmente era a casa do dono do gato. Bateu à porta e uma personagem misteriosa abriu. Era um rapaz com cabelo encaracolado e com barba. Mal abriu a porta, ela caiu e desmaiou de novo. O dono da casa acolheu-a e, quando ela acordou, perguntou se ela estava bem. Ela estava muito grata, mas lembrou-se do seu amuleto desaparecido e perguntou por ele. O rapaz acenou com a cabeça, dizendo que o tinha encontrado enquanto estava a apanhar lírios.

       Ele deu-lhe o amuleto e avisou-a que estava com o pé partido. De seguida perguntou o que poderia fazer para a ajudar a recuperar energias. Ela respondeu com um ar amável:

       - Podia trazer-me um chá e ler-me uma história? A minha mãe fazia isso quando eu era criança. Ele sorriu lentamente e ofereceu-lhe o que ela pedira.

       Depois de algum tempo, ela pediu-lhe ajuda para encontrar a sua casa. Ele aceitou o pedido e ela conseguiu regressar a casa. Quando chegaram e se despediram, ela sentiu alguma energia no ar.

       Será que esta história aconteceu por culpa do poder do amuleto da sorte?